segunda-feira, 10 de abril de 2017

Antrovista: Katia Pinno


Nossa antrovistada de hoje é psicóloga e escritora carioca, membro da Academia de Artes, Ciências e Letras da Ilha de Paquetá e da Associação Profissional de Poetas no Estado do Rio de Janeiro. Seu livro infantil “Lili, a estrela do mar” foi ganhador do 1º lugar do prêmio Adolfo Aizen 2008 da UBE-RJ. A autora possui outros prêmios, dentre eles, o 2º lugar do Prêmio SESC/DF Monteiro Lobato de Literatura Infantil 2010. Escreveu  os livros “Sou Mulher” (crônicas e poesias, 2009) e “À deriva e outros contos” (2015) voltados ao público adulto. Dedica-se também à formação de novos leitores e escritores, ministrando palestras e oficinas. É ativista cultural e desde 2013 coordena o Comitê PROLER (Programa Nacional de Incentivo à Leitura – Ministério da Cultura) Paquetá. Em 2017 estará na Feira do Livro de Poços de Caldas (FLIPOÇOS) no Estande dos Escritores Independentes e ministrará duas oficinas literárias: "Escrita Literária Criativa" e "Decifrando os códigos dos Contos de Fadas".

Com vocês, Katia Pinno!


Antro Literário- Katia, Como foi sua juventude? Os livros fizeram parte na sua rotina?
Katia Pinno- Eu fui uma criança e uma jovem solitária. A imaginação sempre foi minha grande companheira. Gostava de televisão e representava e criava histórias dos meus programas favoritos. Minha mãe gostava de ler, mas não tínhamos muitos livros em casa por falta de dinheiro. Mas a escola indicava livros em edições mais baratas para leitura e foi aí que a história do meu amor aos
livros começou efetivamente. Depois nem precisou mais a escola indicar, sempre que podia comprava um livro, pedia de presente, pegava emprestado na Biblioteca da escola e assim fui formando e aprimorando o meu gosto pela leitura.

Antro Literário- Qual o livro que mais impactou na sua vida naquela época?
Katia Pinno- Foram dois livros: “A Ilha do Tesouro” e “Os meninos da Rua Paulo”. “A Ilha do Tesouro” me levou a um mundo de aventuras, de uma época que eu desconhecia, com piratas e tesouros. Irresistível! E “Os meninos da Rua Paulo” me emocionou muito. Parece uma história simples, mas os sentimentos que moram ali nos fazem refletir e viver intensamente a história daqueles meninos. São dois livros muito bem escritos, nos quais você consegue se imaginar na cena, sentir as emoções dos personagens. Tem um fato interessante que não esqueço quando li “Os meninos da Rua Paulo”: achei o início chato, monótono, quase desisti, mas tinha que ler para a escola e não podia parar. Ainda bem que não o fiz. Percebi que havia me colocado na cena inicial do livro: o personagem estava na sala de aula, totalmente entediado, olhando para fora
e doido para acabar a aula e sair para brincar.


Antro Literário- Que tipo de conteúdo precisa ter em um livro para prender a sua atenção?
Katia Pinno- Meu gosto é bastante variado, tenho preferência pelo suspense, mas gosto muito também de biografias e todos que privilegiem as relações humanas. Mas todos, sem exceção, devem me prender nos primeiros parágrafos. Se eu não gostar do começo, dificilmente continuo a leitura, ou ela segue bem vagarosa. Um livro bem escrito tem que prender o leitor de imediato.

Antro Literário- Como é a sua rotina de marketing e divulgação literária?
Katia Pinno- Meu marketing e divulgação são feitos basicamente em redes sociais, onde tenho uma página de divulgação do trabalho de escritora; no meu blog; com entrevistas, como esta que você está realizando comigo; com a participação em Feiras Literárias no Rio de Janeiro (na capital e outras cidades do estado) e Minas Gerais e com as palestras e oficinas literárias que ministro em escolas, bibliotecas, feiras literárias, e em eventos que eu mesma organizo. O trabalho de prefaciadora também tem sido gratificante e funciona como um bom canal de divulgação.


Antro Literário- Conte-nos um pouco sobre o Comitê PROLER (Programa Nacional de Incentivo à Leitura – Ministério da Cultura) em que você coordena:
Katia Pinno- O Comitê PROLER Paquetá nasceu do Termo de Parceria firmado entre a Academia  de Artes, Ciências e Letras da Ilha de Paquetá (AACLIP) e a então coordenação do PROLER, a Fundação Biblioteca Nacional, em 2013. Em 2014 a coordenação do PROGRAMA NACIONAL DE INCENTIVO À LEITURA (PROLER) retornou para o Ministério da Cultura, a quem estamos ligados atualmente. Nossa parceria irá até abril de 2017.
O trabalho do Comitê é, justamente, desenvolver atividades promotoras de incentivo à leitura. Também é uma de suas atribuições a formação e o aperfeiçoamento de promotores de leitura.  Mas cada Comitê tem um perfil diferenciado, de acordo com a sua área de abrangência. O nosso está localizado na Ilha de Paquetá, bairro atípico do município do Rio de Janeiro; atendemos aos alunos das Escolas Municipais: Joaquim Manoel de Macedo e Pedro Bruno, aos leitores da Biblioteca Escolar Municipal Joaquim Manoel de Macedo e moradores em geral. Os Membros do Comitê são: eu (coordenadora), a diretora da Biblioteca (Rosangela Fernandes), a Presidente da AACLIP (Vânia Barboza) e o Sr. Wilson Alves (empresário e acadêmico). Os anos iniciais foram utilizados para realizar um levantamento das necessidades e recursos locais. Construímos parcerias valiosas, tanto dentro do próprio bairro, com as escolas municipais e estaduais, comerciantes, artistas plásticos e acadêmicos, como de fora do bairro, com entidades e pessoas físicas ligadas às letras e às artes. O Comitê entende que a leitura não se faz só nos livros
(ou similares ou afins); ela também está presente nas artes plásticas. Como a maioria dos jovens e crianças têm dificuldades para se locomoverem ao continente, por motivos financeiros e pelos horários das barcas, procuramos levar até eles também as artes (pintura e escultura) para que desenvolvam um olhar crítico e possam compreender que uma obra de arte é uma leitura do mundo ao nosso redor; é uma leitura do artista, mas que eles podem aprender a traduzir essa leitura e tirarem suas próprias conclusões.
                Desde sua fundação já realizamos diversas atividades: Exposição de Artes e Literatura, Palestra sobre Literatura de Cordel, Roda de Leitura (sobre o escritor Vivaldo Coaracy), Oficina de Aldravias, Mesa Redonda sobre produção literária em e sobre Paquetá, participações em eventos de parceiros, oficinas literárias e de arte, dentre muitas outras. Em dezembro de 2015 aconteceu em Brasília o I Encontro Internacional Território Leitor, organizado pelo Ministério da Cultura, apresentando as políticas públicas de promoção de
leitura em diversos países e iniciativas particulares dentro desta área, no Brasil e no mundo. Aconteceu também, o Encontro Nacional dos Comitês Proler em todo território brasileiro, onde os comitês puderam ter voz e um reencontro após alguns anos.
              Após a mudança de Governo e da estrutura do Ministério da Cultura, a direção geral do PROLER está funcionando de maneira bem lenta, mas as ações nos Comitês continuam, independentes de verba ou de incentivo, porque as pessoas que coordenam os mesmos, são apaixonadas pela leitura e pelo trabalho em não deixar essa paixão fenecer nos corações.

Antro Literário- Qual livro que você leu que acha que daria um bom filme?
Katia Pinno- Pode ser um que escrevi? Gostaria muito de ver o infantil “Lili, a estrela do mar”transformado em desenho animado ou live action. Alguns dos contos que escrevi e publiquei em “À Deriva e outros contos” também dariam bons filmes.


Antro Literário- E qual filme acha que seria melhor contado em um livro?
Katia Pinno- Tenho vários filmes preferidos, mas não consigo pensar em nenhum que pudesse ser contado “melhor” em um livro. Existem alguns que eu gostaria que fossem transformados em livros, se já não o foram: O Homem Elefante, A Excêntrica Família de Antonia, Thelma e Louise são três deles.

Antro Literário- Se a sua vida fosse um romance de ficção, qual seria o título?
Katia Pinno- Ah! Minha vida é tão comum! Tenho aquela rotina diária de cuidados com as ações do coletivo familiar, como a maioria das pessoas. Trabalhar em casa, ainda mais com a escrita, exige uma disciplina maior que estou desenvolvendo e aprimorando a cada dia. Quem trabalha em casa é solicitado a todo instante.  Mas visualizando a minha vida como um todo, pelo que fiz, pelo que acredito, por tudo que construí, acho que o mais próximo seria: “Fazendo a vida
acontecer”.

Antro Literário- Qual escritor você gostaria de ter como vizinho?
Katia Pinno- Afonso Romano de Sant’Anna. Adoro sua poesia. Já tive a oportunidade de assisti-lo pessoalmente em uma palestra numa livraria e isso marcou muito, porque achava que não teria oportunidade de conhecer pessoalmente um escritor que admiro. Para mim foi uma experiência emocionante. E, se viva fosse, Clarice Lispector, com certeza. Ela é inspiradora!

Antro Literário- Você, como psicóloga, costuma construir uma análise comportamental dos personagens?
Katia Pinno- Não faço, necessariamente, uma construção proposital e estruturada. Eu costumo utilizar os meus conhecimentos para aprimorar traços de personalidade que quero destacar em personagens que têm uma importância fundamental para o desenrolar da história. Foi assim no conto À Deriva, do livro de mesmo nome, onde um dos personagens - que nem aparece  -  tem características que são a chave-mestra para os fatos que delineiam a história. Essas características precisavam ficar bem definidas para desvendar o fio da meada.

Antro Literário- Qual a sua experiência literária mais marcante?
Katia Pinno- Tive várias. Além de conseguir publicar, e de ter tido a oportunidade de conhecer alguns grandes nomes da literatura contemporânea, ter meu primeiro livro publicado – o infantil LILI, A ESTRELA DO MAR - premiado pela União Brasileira dos Escritores do Rio de Janeiro com o primeiro lugar do Prêmio Adolfo Aizen 2008 foi marcante e o incentivo que precisava, mostrando que eu estava trilhando o caminho certo. Participar de uma Bienal Internacional do Livro foi também muito emocionante. Foi a realização de um sonho. Essa escolha que fiz, de me dedicar à literatura, me trouxe muitas experiências  inesquecíveis, principalmente quando lido
diretamente com o público: é mágico apresentar nosso trabalho, e também uma caixinha de surpresas.

Antro Literário- Qual projeto literário está em andamento que queira contar?
Katia Pinno- Por enquanto tenho vários projetos encaminhados, mas tenho sido muito solicitada para realizar oficinas, palestras e cursos. Há a possibilidade de uma nova edição do livro: LILI, A ESTRELA DO MAR, que está esgotado, mas é um projeto ainda em negociações.

Antro Literário- Que sonho LITERÁRIO realizaria se ganhasse na loteria?
Katia Pinno- Tenho um sonho que, se ganhasse na loteria ficaria bem mais fácil de realizar, mas que estou estruturando e que envolve basicamente os escritores independentes que têm como maior dificuldade a divulgação, o contato direto com o público e a venda de seus livros.

Antro Literário- Quais os meios de contato (e-mails, sites, blogs, redes sociais, etc) para os leitores conhecerem você, suas obras e projetos?
Katia Pinno- Tenho a página do Facebook: Katia Pinno escritora. O blog: katiapinno.blogspot.com.br
Para contactar para palestras, cursos, oficinas, participações em Feiras Literárias tenho o e-mail: katiapinno@gmail.com e o telefone (21) 2220-1066.
Leo: agradeço a você por esta oportunidade de falar sobre a minha paixão que é a escrita e também a leitura. Um grande abraço aos leitores. E fica a mensagem: leiam, leiam muito, leiam tudo que lhes caia nas mãos, só assim, conhecendo de tudo, aprendemos a escolher e a discernir sobre os fatos da vida.


Por Leo Vieira

2 comentários: